PFem processa Kannário após confusão na Micareta de Feira

A policial militar e estudante de Direito, Tainá Gomes, processou o vereador de Salvador, Igor Kannário (PHS), por suposta calúnia após a confusão na Micareta de Feira de Santana. Segundo o Código Penal, a punição prevista para o crime é detenção, de seis meses a dois anos, e multa.

De acordo com o portal do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), a queixa-crime contra o edil soteropolitano começou a correr na 16ª Vara Criminal da capital baiana nesta segunda-feira (2).

O caso – Em maio deste ano, Kannário acusou a policial Tainá Gomes de agredir foliões gratuitamente na Micareta de Feira: “Ô PFem! Você é só uma PFem, eu sou mais autoridade do que você: eu sou vereador! Me respeite! Procure o seu lugar!”, disse, à época.

Por meio de nota, a soldada, de 28 anos, afirmou que ficou “barbarizada” e se sentiu “humilhada” com a fala do político. Segundo a policial, ela trabalhava para conter uma “desordem”, quando o cantor fez sinal de negação com a cabeça e a repreendeu de cima do trio-elétrico.

Na Câmara de Salvador, Kannário também é alvo de representação feita pela policial militar. Os vereadores, no entanto, ainda não analisaram o caso.

Por: Blog Central de Policia.



Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial